K-On! Faculdade




Grandes personagens com dilemas complexos; missões de peso como salvar o mundo de um final apocalíptico; criaturas e mundo novo, cheios de detalhes novos, mas ao mesmo tempo remetendo-nos a algo conhecido; super-heróis com poderes fenomenais que continuam psicologicamente humanos e tem que conciliar duas vidas; são todas ideias muito interessantes e bem-vindas.

Mas às vezes é bom fugir um pouco de tudo isso.





"K-On! Faculdade" nos mostra uma nova etapa na vida das meninas Yui, Mio, Ritsu, e Mugi, que vão pra uma faculdade, além de morarem juntas num alojamento.

Na faculdade, elas fazem amizade com outra banda formada por 3 garotas, que são relativamente bem exploradas. Akira, a guitarrista, é a que tem mais destaque, até pelo histórico semelhante ao da ex-professora das meninas, Sawako; Sachi é mais parecida com a Mio e seu desenvolvimento se resume mais na personalidade; e Ayame... É a Ritsu.

Pouco a pouco as garotas vão sendo conhecidas em maiores detalhes, e isso acontece com naturalidade (dentro dos padrões, claro. Geralmente envolve uma piadinha sobre alguma característica das garotas).



Provavelmente Akira é a personagem que o autor mais gostou de criar, visto que eu tive que consultar o volume pra lembrar o nome das outras duas, e ainda mais porque eu praticamente não tenho nenhuma lembrança da Ayame, ao contrário da guitarrista apaixonada de cabelos curtos.


Mas progresso em si nós não temos muito (o que é típico de K-On!, de fato), é mais momentos da vida das garotas, delas se acostumando com o novo estilo de vida, e tendo aqueles momentos engraçadinhos do dia-a-dia.

É um slice of life, o que vocês queriam?

O desenvolvimento é o típico que se vê numa história guiada por tirinhas curtas, de 4 quadros (aqui, em casos especiais, mais ou menos): mas não chega a ser travada, e alguns momentos fluem como uma história em quadrinhos normal.



No entanto, ao contrário de coletâneas de quadrinhos que contam histórias ou arcos (como as de Calvin e Haroldo, por exemplo), aqui o "desfecho" no 4° quadro não é bem engraçado. Na verdade, as piadas não são de rolar de rir, mas se você se identifica com algumas personagens ou situações, pode soltar um risinho leve.

Em coletâneas de Calvin e Haroldo, o desfecho geralmente é uma piada mesmo, as tirinhas tem começo, meio e fim, não necessariamente precisando-se ler a anterior pra entender a atual, porque ela é auto-explicativa. Aqui não, é uma história fechada (sem um final "final") contada por tirinhas. É uma dinâmica diferente e que em alguns momentos pode-se até estranhar.



Assim que o volume foi aberto, a primeira coisa que me chamou a atenção foram as páginas coloridas. Eu fiquei surtando quando vi um material publicado no Brasil veio com páginas coloridas, pra descobrir que haviam mais páginas coloridas no miolo que ficaram em preto-e-branco.

Páginas que deveriam ser coloridas
Mas só por já ter páginas coloridas já é motivo pra me alegrar. Não sei exatamente como anda essa questão em outros títulos (porque sou pobre e bancas/livrarias boas estão fora de alcance), mas enfim, vocês entenderam.

Fora isso, há uma página que eu JURO que tá fora do canto. Na contra-capa, no momento em que se abre, há uma página com duas tirinhas e ambas já com a Akira.



Outro motivo que a revisão merece um peteleco são alguns deslizes, como alguns erros de digitação (devido a falta de atenção, creio); e uma das notas que seria necessária. Sim, há muitas notas explicativas (o que é bom, já que elas usam termos musicais e alguns costumes que não entenderíamos), mas uma das piadas envolve o "espirrar quando alguém fala de você", que é o mesmo caso da simpatia que a Mio usa em um momento, mas este é explicado, ao passo que o espirro não é, perdendo assim o sentido pra quem não sabe desse dizer popular japonês.


O traço varia do estilo "fofinho e engraçadinho" pro "cartunescamente bonito", com construções humanas belas, mas com um pé no cartunesco (sem ser exagerado).



Outra agradável surpresa foi uma página com alguns rascunhos e comentários sobre as novas personagens na última página. Parece ter sido colocada de última hora (por estar na contra-capa), mas não ficou ruim.


Em resumo: o volume vale a pena? Se você já é fã de K-On!, sim.  É uma história completa (o que chama mais atenção por não precisar comprar mais volumes), com um bom acabamento, páginas coloridas, traços agradáveis, e uma história bobinha e simples, apenas pra distrair. Não recomendo a quem não seja fã de slice of life ou coisas muito "menininha", provavelmente JoJo te agrade mais. Mas a fãs da série, é um  bom título. Engraçadinho, com novas personagens, novas situações, e continua sendo K-On!.
















Um comentário:

  1. meu Deus esta eu não sabia tem algum site onde eu possa ler o mangá online?

    ResponderExcluir