[Opitorial] Sobre Haters e Saban



Eu não queria ter que falar nesse assunto tendo como motivo certas coisas que aconteceram recentemente. É um assunto bastante interessante, e que eu adoro estudar, debater, e pesquisar.

Mas aparentemente eu preciso começar do começo.




No início dos anos 90, Haim Saban viu que séries tokusatsu tinham um certo apelo na Europa, e decidiu tentar fazer a mesma coisa nos EUA.

Então ele fez um acordo com a TOEI de usar as cenas e roupas japonesas e misturar com cenas produzidas pela empresa dele, nascendo assim Power Rangers.




A tática não era nova, entretanto. Godzilla de 54 teve o mesmo tratamento na época.

E as crianças gostaram, foi um sucesso absoluto, uma verdadeira febre com direito a até música de Sandy e Júnior em terras brasileiras.

O Brasil já tinha recebido dois booms de tokusatsu: o dos anos 60/70, com National Kid, e o da geração Manchete, com Jaspion, Changeman, etc.



Com a chegada de Power Rangers no Brasil, muitos ficaram "olha só os americanos fizeram uma série tipo Changeman", e pouco se sabia das origens da série.

A história era passada pouco a pouco, chegou na revista Herói e aí é onde eu acredito que começou-se a criar um certo ódio de Power Rangers, porque os fãs se sentiram "traídos", eu imagino.

E após a chegada da internet, essa informação se espalhou mais rapidamente e, consequentemente, o número de haters aumentou.



Eu compreendo totalmente que se odeiem Power Rangers. O nome da franquia carrega uma gama de significados, dentre eles "série tosca" e "infantil". Como eu já falei aqui, não há nada errado em ser infantil.

Mas, como eu falei, a palavra carrega uma série de significados, em geral nem todos bons. Nesse caso, eu aconselharia a preparar um discurso rápido explicando a história da franquia. Adotei essa postura há anos e nunca pretendo mudar.

Você tem todo o direito de odiar Power Rangers. No entanto, me sinto obrigado a levantar alguns pontos.



-Se você gosta do tokusatsu da Toei atualmente e odeia mortalmente Power Rangers, você é um(a) mal-agradecido(a). Como eu falei, Power Rangers aumentou bastante os lucros da Toei, possibilitando que ela investisse mais nas séries.

-Power Rangers possibilita que fãs com pouco dinheiro e/ou não confiam na internet pra fazer compras, adquiram os bonecos. Sim, alguns vêm estranhos, mas ultimamente têm vindo diversos bonecos com muita qualidade, bastante articulados, até. E se o boneco tiver o tipo físico de montanha (como é em algumas ilustrações de PR), então é só não comprar.



-Há a possibilidade de vir uma série boa, ou até melhor que a original. E Power Rangers RPM tá aí pra provar isso. Não vi a série inteira, mas ela introduz elementos que não se vê tanto no próprio tokusatsu como um todo, como um mundo pós-apocalíptico, um tom mais sério, e quebra de alguns clichês, e ao mesmo tempo sabe quando não se levar tão a sério.

E se vir uma série ruim, apenas fazer o que um entusiasta comum faria: apontar erros e acertos e debater com outros entusiastas como melhorá-los, trocar ideias.


No entanto, recentemente presenciei algo que é quase surreal. Uma página chamada Herosatsu, administrada pelo Red Turbo, teve uma atitude ditatorial e anti-democrática, ao apagar comentários que simplesmente discordavam das ideias do dono.

Postagem do Herosatsu

Diversos comentários, apresentando argumentos contrários aos apresentados na postagem. Isso porque Red Turbo pregava a prevalência do "tokusatsu original", e repudiava qualquer obra adaptada.

...isso é tão errado em tantos níveis...

O que o Red Turbo acredita é que Power Rangers não é tokusatsu pelo simples fato de ser uma adaptação.
O que é uma estupidez.

Ora, se as cenas de luta (vindas de séries japonesas) tem sua ligação dentro da história criada, então elas formam um conjunto de estrutura semelhante ao das séries japonesas.

Então, se Power Rangers, que se baseia em Super Sentai em todos os aspectos possíveis, não é tokusatsu, então o Super Sentai também não é tokusatsu.

O mesmo pode ser aplicado a Dragon Knight, Masked Rider, France Five, Insector Sun, Guerreiros Místicos de Tir Na Nog, Jovens Guerreiros Tatuados de Beverly Hills, os filmes e a série live action das Tartarugas Ninja, e Bibleman.
Note que eu não estou debatendo a qualidade das séries, mas simplesmente a classificação. The Cat in the Hat (2003) é um ~>PÉSSIMO<~ filme de comédia, mas a estrutura e desenvolvimento apresentados mostra que tenta ser uma comédia.

E os comentários eram bastante embasados, um deles até dizia que porcausa de PR, Zyuranger vai chegar em DVD nos EUA, e estava até esperançoso de vir novas séries.
Mas ele cometeu o terrível crime de discordar da opinião de Red Turbo.



E no entanto ele apagou praticamente todos, restando apenas uns poucos, e o resto de mensagens de apoio a ele.
E ainda deixou um comentário na postagem dando a entender que "os fãs de PR não aceitam a opinião dele de que PR não é tokusatsu e por isso vem xingar".

...indeed.

Enfim, esse foi um dos principais motivos para eu escrever essa postagem. Achei que não houvessem mais pessoas com esse tipo de pensamento (ou maturidade, ou a falta dela), mas aparentemente eu estava enganado.

Escrevi essa postagem para fazer esses haters extremistas pararem e pensarem um pouco no que estão fazendo. Isso é uma atitude que não deveria ocorrer com indivíduos adultos, e eu sinto que alguém precisava falar algumas coisas em voz alta.

A postagem original está no link https://www.facebook.com/Herosatsu/photos/a.347260105382471.74005.347255258716289/655976187844193/
Os comentários apagados estão registrados nas imagens abaixo. As identidades foram preservadas em respeito à privacidade de quem postou, espero que entendam.
(Clique para ampliar)


 

 

 

 
 


 

2 comentários:

  1. Não podia ficar sem comentar isso, mas Power Rangers não é tokusatsu porque não é feito no japão é americano, da mesma forma que um desenho americano não é um anime. Não sou nenhum radical, e nem mesmo gosto de tokusatsus ou anime, e gosto de unicamente 2 sagas dos Power Rangers, então eu posso dizer que o cara teve uma sacada de mestre dando mais humor e humanidade a série, afinal as séries japonesas costumam ser muito superficiais, então foi ótimo para nós que temos uma cultura diferente. O problema é que os otakus mais radicais que acham que Power Rangers impede a entrada de tokusatsus no ocidente. A verdade é que eles acham que se a cultura anime/tokusatsu fosse mais difundida, existiriam mais otakus e menos preconceito contra os mesmos, logo são em maioria caras frustrados que foram taxados por seu fanatismo. É só fazer o que praticamente todos fazem, os ignorem, afinal essa é uma luta que dificilmente eles conseguiram vencer e só acabara perdendo seu tempo recebendo xingamento gratuito, espero que esse comentário seja útil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo, cê leu o texto?

      Power Rangers é tokusatsu e ponto final. Primeiro por ser, ao pé da letra, filme de efeitos visuais/especiais; segundo, por seguir o padrão feito pelos japoneses.
      Literalmente, ele pega cenas de Sentai, considerados tokusatsu sem nenhuma discussão, e mistura com as cenas de diálogo e de luta filmados nos EUA/Nova Zelândia, cenas de luta essas que seguem o mesmo padrão criado pelo Sentai.

      Da mesma forma que desenho americano É animê, pelo menos na raiz da palavra. A diferença é só o estilo de narrativa e/ou técnico/gráfico.

      Panty and Stocking é chamado de animê por muitos, e eu te juro que até agora não entendo o motivo.

      Geografia não influencia necessariamente no estilo artístico das séries que são produzidas nele, entendam isso.

      Excluir