Master Comics 2015



O evento Anime Master já ocorre há alguns anos, em uma das unidades da FIC, em Fortaleza. Esse ano ocorreu o primeiro evento voltado mais a quadrinhos do que a cultura japonesa, e nós estivemos lá! 

Seguem as fotos com comentários, como de costume.



Eu já havia ido ao Anime Master no ano passado, mas não com o já conhecido de vocês, Àlvaro. E assim como o Sana, não teve muita diferença de um evento pro outro no tocante ao andar pelo evento.


Havia estande vendendo miniaturas, articulados, pulseiras, canecas, pôsteres, pessoal fazendo mostra de artes marciais e duelos com armas emborrachadas, do mesmo jeito que tem no Sana, só que com menos espaço e variedade. No entanto, houve um foco grande na venda e troca de quadrinhos em geral (infelizmente, eu não consegui nada, mas fazer o quê, né?), e isso foi de fato um fator positivo.

No entanto, as atividades englobavam bem mais o universo dos quadrinhos, como o torneio de Battle Scenes (que um dia ainda me atrevo a tentar jogar), e as palestras com Daniel Brandão e a apresentação de cosplayers, todos vindos de quadrinhos ocidentais.
E a Alex das Três Espiãs demais.
...sim, ela pode.

A propósito, o desfile de cosplays teve uma das aberturas mais empolgantes que eu já vi.
...não que eu tenha visto muitas, mas enfim.



Eu não sei se eu tava com muito dinheiro, se eu gastei bem, ou se as coisas estavam realmente baratas, mas eu saí de lá com uma miniatura linda do Histugaya (Bleach); um pôster de Gokaiger; um mousepad com os Reds de Sentai (faltando 5 Reds, provavelmente devido ao tamanho do negócio); uma caneca com alguns Reds de Sentai, uma graphic novel e uma série em andamento independente, que eu hei de resenhar aqui (se eu achar válido, claro).

O que me lembra que desde o ano passado eu meio que tou me devendo uma resenha de um quadrinho que comprei no Sana... E ainda não acabei de ler.
...fora as graphics de Percy Jackson.
...Enfim.

Eu pessoalmente achei o evento muito bom. Mesmo sendo parecido com o Anime Master (porque mesma organização, suponho), soube manter o foco. E eu tive experiências pessoais boas dele, pequenas coisas que surpreendem e acabam marcando.
Como encontrar conhecidos (mesmo que por pouco tempo), e a vendedora simpática da MMG que puxou um papinho comigo e com o Àlvaro (olá vendedora simpática cujo nome não me lembro porque eu sou muito tímido, caso esteja lendo isso).

Seguem mais fotos:
A propósito, perdoem a falta de qualidade das fotos no (pouco que pude ficar do) desfile, a câmera que uso ainda não foi com a minha cara.
















































 

 

 

 

 

 

 

0 comentários:

Postar um comentário