Medos de Infância



Esse post deveria ser na verdade um podcast que eu gravei com o 48 Complex e o Will, mas a gravação ficou estranha, então eu resolvi transformar numa postagem normal.

Passamos quase 2 horas compartilhando nossos medos de infância e como hoje nós os vemos.




Os temas serão citados aleatoriamente, aliás. Mas todos foram comentados no áudio, e eu comentarei o tanto quanto achar necessário, baseado no áudio. E sim, são bastante pessoais, tudo bem se não se identificar com algum, mas tenho quase certeza de que se identificará com a maioria.

Castelo Rá-Tim-Bum

Não vou mentir, tenho muitas boas lembranças dessa série. Era educativa, divertida, tinha personagens marcantes, músicas memoráveis, mas também ficou lembrada por outros motivos.



Sim, a Caipora.
Essa maldita.
Eu tinha tanto medo dela, que talvez seja um dos motivos que eu nunca aprendi a assoviar.

Pra quem não sabe/se lembra, na série a Caipora era chamada ao assoviar numa nota específica, o que levava a muitas crianças inocentes de 4-5 anos a achar que qualquer barulho feito muito alto (como assovio, ou ligar a descarga) ia chamar monstros do além, a Loira do Banheiro, o Babau e a macaca do Planeta dos Macacos de Tim Burton.
...eu chego lá.

A fantasia envolvia muito vermelho e preto, que era quebrada com adereços indígenas amarelos. A forma dela se mover era animalesca, incluindo ainda o fungado característico, e o grito "CRA-CA-TÁU!" me faziam ter um certo receio de vê-la na tela.

Recentemente vi um episódio com ela, e não senti medo, embora entendesse o medo de crianças mais novas.

Outro que causava medo em algumas crianças era o Etevaldo.


Talvez o Etevaldo tivesse menos ocorrências pesadelísticas nas crianças, porque ele era mais alegre, colorido e etc. Mas ainda assim, entra no mesmo campo da Caipora de ser surreal e real.

A conclusão que chegamos foi de que quando algo é feito com materiais e atores reais, é muito mais fácil de dar medo, especialmente se tenta emular um desenho animado, como é o caso do Etevaldo e da Caipora.



Em uma revelação que eu acho ser um caso raríssimo, Will comenta que não conseguia olhar pra tela quando Morgana aparecia.

Chegamos ao consenso de que tudo em Castelo Rá-Tim-Bum poderia dar medo, já que era tudo extremamente surreal (embora que eu pessoalmente considere um surreal saudável).

Lazy Town



E falando em desenho animado, bonecos normalmente tentam emular esse estilo, como é o caso dos Muppets e de Lazy Town.

O negócio mais estranho sobre Lazy Town é que os bonecos não parecem marionetes, parecem se mexer por conta própria. Fora que eles ficam sempre com um olhar de peixe morto, Complexo admitiu que ainda hoje tem medo deles, e eu não o culpo.

Por falar nisso, o que raios é a Stephanie? Eu entendo o Spartacus e o vilão serem humanos normais (porque eles devem ser algum tipo de entidade pros bonecos, sei lá), mas e a garota? Ela é de outra cidade, ela é um boneco mutante...? A Wikia de Lazy Town não diz nada sobre isso. Eu deduzo que ela seja de outra cidade, porque no episódio piloto (com a Shelby Young como Stephanie, que fez uma garota no episódio de Todo Mundo Odeia o Chris onde ele pega o carro do pai emprestado, ela é a garota do lado do pequeno Rock), ela é a única que quer se movimentar e brincar na rua, e cita que jogava muito futebol na casa dela.
...
....e aí eu percebo que provavelmente esse parágrafo foi informação e trivia além da conta.
Trivias são demais.

The Dark Crystal


Embora meu medo relacionado aos Muppets seja apenas vindo dessa cena de erros de gravação, (e em quantidade relativamente maior do Alf), se eu tivesse visto O Cristal Encantado quando criança, eu certamente teria medo.

O visual do filme é lindo, artistica e tecnicamente. No entanto, seu maior trunfo também foi parte da derrota, porque o visual foi um dos motivos que levou os pais levarem seus filhos pra ver E.T. do que The Dark Crystal.
O outro deve ter sido o desenvolvimento dos personagens, mas eu nunca vi E.T., então eu não posso opinar.
...
Sim, eu nunca vi E.T. e uma penca de filmes clássicos.
Mas confesso que E.T. me dava um ar de estranheza, quase no mesmo nível de Gremlins.
...SIM EU TAMBÉM NUNCA VI GREMLINS.

Ainda relacionado a bonecos (mas algo mais obscuro do resto do Brasil, imagino), é o medo patológico que eu tinha dos bonecos do Nas Garras da Patrulha.
Hoje eu assisto de boa e até considero um programa mediano.

Água em Jogos


Ouvi relatos de gente que ao meramente ouvir a música da falta de ar em Sonic, já começava a suar frio de medo. E embora eu veja razão pra isso, eu botei nessa lista por um motivo mais palpável.


Mergulhar.

Veja bem, é exatamente a mesma coisa que estar no mar ou na piscina, o nada a sua frente é muito forte, e como sabemos, o mar abriga tubarões, baleias, e o Tentacruel. E cada vez que eu caía no mar em Sonic Adventure DX, minhas pernas gelavam. Eu via o personagem que me representava cair num abismo azul escuro e desconhecido. Também senti algo parecido na batalha final, mas como era, bem, a batalha final, esse medo já havia sido bem superado.

Cair continuava sendo apavorante.
Tendo isso em mente, na abertura de Symphony of the Night, eu senti um desconforto só de ver a água em CG. É sério.

Esse medo ficou mais forte após um momento em Tomb Raider (não lembro qual, imagino que o primeiro) onde Lara está na água e do nada UM TUBARÃO PIXELIZADO APARECE PARA DEVORAR LARA!!!
!!!
...na minha mente era mais assustador.

Pra ilustrar, aqui está um vídeo que pode ajudar na sensação.




Isso porque eu não achei o vídeo do teste dessa cena, é bem pior.

E usando como exemplo outro caso que me marcou, Half Life. Apenas assistam.

Mas o menino Complexo lembrou de um clássico do medo gamístico aquático.


A maldita Enguia do Mario 64.
Não só por si só ela é assustadora, mas quando você a vê pela primeira vez, se imagina que ela é apenas parte do cenário ou um peixe normal. Mas ao se aproximar JEEEESUS! Mesmo hoje, ainda dá um susto pequeno em desavisados.

Lavender Town
Antes de mais nada, pra dar um clima https://www.youtube.com/watch?v=JNJJ-QkZ8cM

Há uma cidade em Pokémon Red/Blue/Green chamada Lavender. Há várias creepypastas sobre ela, mas vamos nos ater apenas ao jogo.

A música, como puderam notar (se clicaram no link acima), é bastante tétrica. E não só isso, ela é também um pouco melancólica. Isso faz sentido, uma vez que a cidade abriga o cemitério de Pokémons, e é onde se pode encontrar Pokémons fantasmas. Mas não só isso, há também um NPC que vê uma mão branca no ombro do personagem, e treinadores com frases peculiares, como "Me... Dê... Sua... Alma..." ou...


...é.

O Estranho Misterioso

Nunca li Mark Twain, e nunca vi esse filme em stop motion completo. Mas quando era criança, vi esse vídeo no YouTube e... bem, não consegui ver todo. Eu vi agora e não achei lá essas coisas, mas considerando que era uma animação pra crianças, o que raios eles tavam pensando?

Ah, sim, o vídeo. https://www.youtube.com/watch?v=s89ALvMQCGg
Mas vá por mim, deixe pra ver depois da leitura desse artigo, não vale tanto a pena.

Plantão da  Globo


Pessoalmente, eu não tenho nenhum trauma vindo do Plantão, mas eu sei que VÁRIOS de vocês tiveram. E eu entendo perfeitamente. Se eu ver um negócio desses hoje, eu me lembro de acontecimentos que marcaram época, como o 11 de Setembro, Sequestro do Silvio Santos, e a vinda de Don Rosa ao Brasil. No entant-

...
como?

Ninguém cobriu a vinda do Don Rosa pro Brasil?

...merecia, viu.

Enfim. No entanto, eu me lembro de ter um medinho do Linha Direta (em especial das simulações de casos inexplicáveis), mas o mais fresco na minha memória é o Fantástico.
Não só o Fantástico, mas a voz do Cid Moreira.

Ele pode estar narrando uma reportagem sobre o aumento o preço dos remédios, mas o tom de voz faz parecer que quem aumentou o preço dos remédios foi algum fator sobrenatural inexplicável.

Talvez seja minha memória de matérias como essa, mas...

Ainda relacionado, Will comenta que nos anos 2000, quando a Globo saía do ar, ficava o logotipo da emissora num silêncio matador, o que dava a impressão de estar sendo observado. Fora que pelo silêncio, você esperava alguma coisa (voltamos a esse assunto em instantes).

Vídeo de "Mensagens Subliminares"




Algum dia eu farei um vídeo/postagem específica sobre elas, mas por ora, deixe-me dizer uma coisa.

Eu ODEIO esses vídeos.

Não tou questionando se são verdadeiros ou não, mas o que mais me incomoda é que, no vídeo, eles botam uma música tétrica, que tira a atenção do que realmente está sendo mostrado, confundindo nossa capacidade de percepção.

Pra exemplificar, aqui está um vídeo que usa esse tipo de música.

Se eu ver normalmente, com um pouco de lógica vou perceber que Jynx pode ser interpretada como um esteriótipo racista, mas na verdade foi baseada na Yama-uba. Com a música tétrica, porém, não apenas vai me convencer de que foi feito de propósito pra ser racista (e ligar isso com o Capeta).

E é cada coisa uma mais sem noção que a outra, que com uma pesquisa de 5 minutos poderia ser explicada, ou simplesmente pura lógica. E outras que sequer subliminares são.

Mas deixemos isso pra outro dia.


Propaganda de Carro

Sim, você conhece.

Não, eu não vou botar foto aqui. Por dois motivos:

1-não quero arriscar
2-não encontro imagem e não quero arriscar encontrar um jumpscare.

É um clássico exemplo de jumpscare, é um vídeo que começa com umas frases (editadas com Windows Movie Maker) dizendo que o vídeo a seguir era uma propaganda de carro banida, porque na terceira curva ouvia-se um sutil grito de horror.

E quando o carro chegava na tal terceira curva, aparecia um bicho feio na tela gritando na frente da câmera.

O trauma foi tão grande (graças ao meu status de primo caçula que cai nas pegadinhas dos primos maiores) que se eu apenas ouvir de longe o grito já me vem na mente a imagem, mesmo que se eu me esforçar agora, ela venha toda borrada.

Macacos



Aqui nós entramos num aspecto semelhante ao de The Dark Crystal, mas com o adendo de serem atores reais, e não bonecos.
Ambos são iguais no fator assustabilidade, mas funcionam de modos diferentes.

Especialmente aqui, é essa maquiagem estranha da moça-macaco. Havia uma foto dela numa revista Recreio onde era contado como eram feitos os efeitos visuais de certos filmes. O que hoje seria interessante pra mim, naquela época me deu medo especificamente porcausa dessa macaca.

E Deus sabe como eu fiquei com medo do Grinch quando eu vi ele na TV.
E depois do The Cat in the Hat, que até hoje eu tenho medo, mas por outros motivos.

Ilha Rá-Tim-Bum





Assim como o Castelo nos deu os personagens assombrosos memoráveis (e o Rá-Tim-Bum com os porquinhos que ensinavam as crianças a tomar banho), Ilha teve uma história mais... História.

Vejam bem, Rá-Tim-Bum foi o primeiro programa, e era um amontoado de esquetes/quadros. Castelo já tinha mais uma história, personagens fixos, e os quadros. Posso estar errado, mas pelo que eu me lembre, Ilha foi o mais distante do programa inicial. Ele tinha realmente uma história, desenvolvimento de personagens, mistério, etc. Claro, ainda havia a parte educativa, mas era mais disfarçada. (De novo, me baseando na minha memória, se eu estiver errado me corrijam.

Em geral, eu lidava de boa com o ambiente medonho, as criaturas estranhas como Polca, Nhã-Nhã-Nhã, os Coisas, mas tinha um em especial que até hoje me dá calafrios.



Solek.
Esse maldito.

Perdi a conta de quantas vezes deixei de ler a revista Recreio sobre a Ilha porcausa desse... calango.
O que me fez marcar até a história em quadrinhos (do Hong Kong Fu), o brinde da edição (o Mega Letronix Celular), e se bobear, ela passou anos parecendo nova justamente porque eu mal a lia.
Tudo porcausa do Solek.

E também foi isso que fez me afastar da série. Mas eu prometo que eu irei resenhá-la, assim como o filme O Martelo de Vulcano.



Houveram várias outras citações durante a gravação, incluindo a propaganda anti-drogas clássica onde o traficante virava uma cobra e o Garibaldo da primeira versão da Vila Sésamo brasileira.

Mas quero encerrar logo isso antes que eu me traumatize de novo. Deixei o "melhor" pro fim. Um medo compartilhado com meu amigo Will e com certeza com MUITOS outros.

Lobo Mau


Esse foi o troço que me fez gravar e escrever esse artigo.

Ele aparece no episódio "Com que Roupa Eu Vou?", onde eles vão dar uma festa à fantasia, e o tio Victor diz algo sobre o Lobo Mau. Nino, como um moleque de 300 anos com algum problema de audição devido à idade, entende que o tio irá à festa vestido de Lobo Mau.

E acontece o inesperado: O VERDADEIRO LOBO MAU APARECE!
NO CASTELO!
!!!
MALDITAS SEJAM AS LEIS DA CONVENIÊNCIA UNIVERSAL!!!

O Porteiro deixa ele entrar porque "ah oi dotô victor pois não pode entrar espero que tenha trazido salgadinho" e durante muito, MUITO tempo nós temos um ator talentoso que reproduz com fidelidade a ferocidade e animalência do Lobo, vestido numa fantasia que poderia muito bem ser usada num filme do Zé do Caixão.


Agora imaginem esse bicho andando, rosnando, e do nada ele ROSNA NA CÂMERA.

NA.
SUA.
CARA.

A aura maligna desse ser é tão grande, que essas são praticamente as duas únicas imagens que eu consegui encontrar dele.
...não eu não vou ver o episódio no YouTube. Nem o episódio onde ele aparece no Mundo da Lua.

Agora, eu respeito muito mais o Luciano Amaral, que fez tanto o Pedro do Castelo como Lucas Silva e Silva, por ter enfrentado essa mesma monstruosidade tanto no Castelo como no Mundo da Lua.

Luciano Amaral é um titã brasileiro.

E agora com licença que depois desse artigo eu preciso fazer uma maratona de Dora a Aventureira.

7 comentários:

  1. Melhor post! kkkkkk, ri demais. MORRO de medo do Mario 64, não só do mundo da enguia, mas de todos, é muuuuito surreal, ele sozinho em um castelo e entrando em quadros com monstros aleatórios, EGUA. sahsauhsa mas <3

    ResponderExcluir
  2. Eu tinha vários pesadelos coma enguia do mario 64 !!!
    P ser sincero até hj não entro naquele quadro sozinho !!! hahaha

    ResponderExcluir
  3. Você disse que tinha medo do "Cat in the hat" mas era por outros motivos... Eu não quero te obrigar a falar nada, mas, desde que eu vi algumas cenas daquele filme (que eu sei que é sarcastico e nao-infantil) eu sinto uma coisa estranha, já que você "tem medo por Outros motivos" quero saber se é pelo mesmo que eu, ou vce sabe algo que eu não sei?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Basicamente, por ele ser uma representação de tudo que tá errado no entretenimento pra crianças, e o fato de que ele carrega um nome tão forte e importante com Dr. Seuss é pior ainda.

      Eu pretendo fazer uma resenha sobre ele no futuro, mas até lá, essa resenha resume bem https://www.youtube.com/watch?v=YC6nTb9mt2k

      Se cuida! o/

      Excluir
  4. Oi, então meu nome é Sophia, e vc disse que tinha medo do filme Cat in the het, mas era por outros motivos, quais motivos são esses? Eu pergunto porque toda vez que vejo uma foto ou cena daquele trocinho eu fico meio nervosa, escrevendo isso eu já estou meio nervosa e meio assustada. Por favor me responda

    ResponderExcluir
  5. Oi amigo, por favor poderia me dizer qual a edição da revista Recreio que falou sobre a Ilha Rá Tim Bum? Gostava demais dessa série e gostaria de procurar essa edição em sebos mas não sei o número. Poderia me ajudar. Desde já agradeço. Gostei muito do texto. rss Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente não, Fernanda. Tudo que consegui achar é que era uma edição de 2002, muito provavelmente depois do número 100.
      Dar uma olhada aqui na minha coleção se tenho, qualquer coisa escaneio.

      Excluir