Sakuya Youkaiden




Youkais estão fortemente presentes na cultura japonesa desde sempre, mas ganharam mais popularidade depois da (por lá) popular série em quadrinhos Ge Ge Ge no Kitaro.

Pra quem não sabe, youkais (ou yokais, também chamados de ayakashis) são, a grosso modo, criaturas do folcrore japonês. Como Saci-Pererê, Mula-Sem-Cabeça, Boitatá, e por aí vai.

Em 2000, foi lançado Sakuya Youkaiden, um filme pra todas as idades que aborda esses seres fantásticos.





A história é bem simples, ela conta que o espírito do Monte Fuji vez ou outra se irrita e manda pragas para punir os homens. Pragas como terremotos e youkais.



Apenas a família Sakaki pode derrotar youkais, pois possui a espada forjada especialmente para os matar. No entanto, a espada suga a energia vital do possuidor.

A história começa com um samurai da família Sakaki (que é interpretado por ninguém menos que Hiroshi Fujioka, conhecido como Kamen Rider Ichigo e Segata Sanshiro) que está lutando contra esses monstros, até que é morto por um Kappa e passa o bastão para sua filha Sakuya, cuja primeira vitória é sobre esse mesmo Kappa. Ela, então, vê um Kappa bebê por perto e o adota como irmão.


Numa reunião, os líderes chegam à conclusão de que para impedir o avanço dos monstros é necessário derrotar o líder deles, a Rainha Aranha. Samurai-fuinha, velho conhecido de quem viu Kamen Rider Decade e Kamen Rider Blade, acha muito perigoso pra uma garota ir pra lá, manda como ajuda dois ninjas para escoltá-la.
Então Sakuya começa sua jornada para o Monte Fuji e seu irmão kappa aproveita o embalo pra ir também.




A propósito, se passaram 6 meses mas ele tem a aparência e mentalidade de um menino de 10 anos. Se você quer crescer forte e inteligente, esqueça os vegetais, legumes, e Sustagen, seja um youkai.


O roteiro é de fato muito bom, ele não é excelente mas ele consegue prender sua atenção o suficiente, fora que continua sendo divertido. O desenvolvimento não é dos mais brilhantes, mas consegue dar certa profundidade aos personagens, o suficiente pra nos importarmos com eles.



Mas Sakuya ainda não tem muita expressão, deixando ela fria em momentos que ela deveria mostrar um pouco de emoção, ou simplesmente... Parecendo estranha.  Ela parece não ter muita direção do que fazer, simplesmente escolhendo não colocar emoção em seu rosto enquanto fala, nem quando os caras do vilarejo tem seu irmão como refém.

No entanto, em alguns momentos a expressão fria da atriz combina com os momentos, pois a expressão vem acompanhada de algumas nuances que enriquecem a atuação.



Mas a atuação do garoto-kappa, Taro, é bem convincente e ele parece realmente um garoto de 10 anos animado mas ao mesmo tempo sofre porque não se sente aceito nem pelos humanos nem pelos youkais.



As fantasias são muito boas, mesmo que algumas (como o Gato de Duas Caudas) pareçam estranhas, acreditem, ficaria pior se fosse em CG, que, aliás, aparece apenas nos momentos necessários e não é feia, combinando harmoniosamente com as cenas.



Alguns toques de desenho animado, como fechar na cara do personagem (como mostrado acima), ou mostrar o esqueleto durante um choque, destoam um pouco do clima de aventura e sobrenatural do filme. Não chegam a incomodar pois são poucos momentos, e provavelmente era necessário pro clima do filme não ficar sempre sério demais.

E as cenas de ação são mais estratégia que movimento, mas contém uma boa dose de ação e são interessantes de assistir. Destaque para a cena da luta final onde fizeram valer o que aprenderam com os filmes recentes de Gamera.

Em resumo: Sakuya Youkaiden é um bom filme, especialmente para crianças, mas que não é exclusivo delas, sendo divertido pra qualquer idade ou quem seja curioso em folclore japonês. Mas há títulos melhores que exploram mais o lado do folclore, como a série Nurarihyon no Mago (que inclusive está sendo publicada no Brasil).

Mais imagens:

 




 


 


 
 




0 comentários:

Postar um comentário