The Super Inframan


Quando criei o blog, um dos meu propósitos era fazer resenha de séries e filmes tokusatsu obscuros. Peguei, até o momento, quatro que julgava serem desconhecidos, no mínimo conhecidos, mas que uma parte considerável dos fãs de tokusatsu não tinham assistido.

Conheci "The Super Inframan" visitando o MyFigureCollection, uma rede social voltada para colecionadores de brinquedos. Em um clube de tokusastu, esse filme foi citado, e imediatamente fui atrás de pegá-lo. Eu peguei, e resenhei hoje.

A pergunta é: será ele um filme realmente bom, que te traga uma experiência agradável e divertida, ou é mais uma curiosidade (já que é o primeiro super-herói chinês no estilo tokusatsu)? Vamos descobrir.




O filme começa com cenas do Inframan se transformando e fazendo piruetas, com uma música-tema irritante.

A propósito, segundo minhas pesquisas, nesse filme foram usadas músicas de UltraSeven e Mirrorman.





Enfim, após a introdução, somos confusamente apresentados à história. Alienígenas (ou demônios, eles não explicam muito bem) que estavam instalados na Terra desde a Era do Gelo, e que se adaptaram ao ambiente de alguma forma.
Então, para deter a líder desse exército, liderado pela Princesa Elzebub, os cientistas criam uma armadura capaz de derrotá-los. O cientista-chefe usa instala essa armadura em um carinha lá, e o carinha vira The Super Inframan.





Antes que perguntem, não, eu não decorei o nome dos personagens, mas já já chego lá.





O primeiro problema do filme é a lentidão. SANTO DEUS, como esse filme é lento! Eu digo LEEEEEENTOOOOOO.
As cenas sem diálogo e sem ação são várias, e eu juro, aos 15 minutos do filme pensei seriamente em desistir, porque não havia NADA ali que pudesse prender minha atenção ou que eu julgasse que fosse ficar interessante. Era como se os segundos fossem minutos, demora muito tempo pra acontecer alguma coisa, e quando acontece, você não dá a mínima.
Como por exemplo, há uma cena que o cientista-chefe está lendo um livro, e chega sua filha pra falar com ele. Há uma demora pra filha chegar no cara, eles se falam. Há outra demora só dela observando ele, até que ele anda até a prancheta. Outra demora, e ela diz que ele está há quatro dias sem dormir. Outra demorFAÇAM ALGUMA COISA, RAIOS!



Já que falamos na filha, vamos falar dos personagens, começando pelo protagonista. Você não sente a mínima vontade de torcer por ele. Pra vocês terem uma ideia, eu nem lembro direito o nome dele. É um personagem sem carisma e tão profundo quanto uma lata de Vick. Há personagens que são praticamente jogados na história, como 2 adolescentes e uma criança, que não fazem muita diferença na história. E uma desses 2 adolescentes é a filha do cientista-chefe, mas adivinha! Você não sabe disso até que ela chega ao cientista-chefe e chama ele de "pai"! Sendo que antes disso, vemos ela e o outro adolescente sendo capturados pelos caras do mal. Ou seja, faz parecer que o roteiro foi-se modificando demais durante as gravações, e essa sensação é repetida nos momentos finais do filme.
A personagem mais interessante, talvez seja a Princesa Elzebub, que se mostra um tanto quanto cruel em certo momento do filme, mas ainda assim é uma personagem plana demais.



As lutas são no máximo razoáveis. Há dois ou três golpes que são legais, mas há uma falha vital: não há música nas cenas de luta. Em boa parte do filme, aliás. A música de fundo, em um filme/série, é essencial para que o público saiba como deve se sentir durante uma cena. Quando o Inframan lutava, eu não sabia se ele estava ganhando ou perdendo, mesmo que ele estivesse derrubando 10 caras ao mesmo tempo. Não sei se as possibilidades estavam a favor dele ou contra ele, sem contar que deixa um clima monótono, simples. Assim, os efeitos sonoros ficam irritantes demais, chega a dar dor de cabeça em algumas pessoas.





Eu vou deixar passar os efeitos especiais devido às limitações da época, mas a edição é terrível. Em um momento, o raio sai pelo lugar errado, mas é só uma vez, ainda bem. Em compensação, os cortes usados podem te deixar um pouco perdido, pois alguns destes ocorrem rápido demais e em momentos errados. Há um momento em que Inframan está socando o monstro praticamente na cara, e na tomada seguinte, o herói com um visual feioso corre para atacar o monstro.

...ah, a armadura dele é feiosa demais. Mesmo.


Com tanta coisa me irritando, não consegui prestar muita atenção nas atuações, mas é o que há de melhorzinho nesse filme.


Como eu descreveria The Super Inframan...
Imagine que você está no bairro comercial de sua cidade. Muita zoada, muito barulho, pessoas indo e vindo, pra lá e pra cá, e você não consegue prestar atenção em nada e só sai mais irritado e cansado. Você olha todos os produtos das lojas, não vê nada que lhe agrada, e volta pra casa cansado, de mãos abanando, e dizendo consigo mesmo: "Eu devia ter ficado em casa e jogado algum joguinho bacana, ao invés de perder tempo."

É por aí. A menos que você seja um apaixonado por tokusatsu, ou cultura japonesa/chinesa, não assista, ou será uma perda de tempo.
Agora, se me dão licença, eu vou jogar Carmen Sandiego.

Mais prints:

 



 







0 comentários:

Postar um comentário