Acertando as Contas com Papai

Essa é a imagem mais ano 90 que verá hoje.



Agosto chegou, e com ele o Dia dos Pais, e logo eu me peguei me perguntando "o que será dessa geração que não conhece o Domo-kun?" Digo, por algum motivo a internet brasileira resolveu apelidar o mascote de "mafagafo" através da Desciclopédia. Isso num tempo em que a internet não tinha o alcance de hoje e algumas coisas ainda eram BASTANTE obscuras pro público comum. Raios, uma vez eu tive que fazer um trabalho escolar sobre Rick Astley e tive dificuldade pra explicar o que era um "meme".

Curiosamente a disseminação do termo não me ajudou a explicar pra exata mesma demografia o que é de fato um "meme".

...

Enfim, eventualmente eu comecei a pensar no que eu traria pro Dia dos Pais, então...


...uh...


Macaulei Cookin.


Descendentes 3



Assim como numa narrativa tradicional, o número 3 nos indica conclusão. O primeiro ato nos estabelece o mundo e os personagens; o segundo ato é o desenrolar da trama, mostrando os desafios do Herói; e o terceiro ato é o clímax e conclusão.

Outras franquias fizeram o mesmo esquema: High School Musical, X-Men, Star Wars, Toy Story, e a Trilogia Cornetto. Eu acho. Eu nunca vi a Trilogia Cornetto.

"mas toy story teve um quarto filme"


Então, como eu dizia, normalmente o terceiro filme serve pra fechar todos os arcos criados e nos dar uma conclusão pro arco maior. Geralmente ele tenta nos passar o sentimento de que "ok AGORA o bicho pegou DE VERDADE". Mesmo quando ele tem um tom um pouco cômico como foi em Retorno do Jedi, ainda tenta ter aquele clima de "é agora ou nunca" emergencial que a história exigia, mesmo com a mistura de ursinhos Teddy com aborígenes amazônicos.

"kapón isso não faz sentido algum, cê tá com abstinência de cereal de novo?"

Provavelmente sim, voz que mora na minha cabeça, e antes que eu comece a pensar demais nisso, voltemos ao ponto que eu queria chegar: Descendentes 3 tenta pegar esse clima emergencial, mas não faz o prometido pelos trailers.

Ainda assim... é divertido.


Super Remake Time: Descendentes


Eu odeio Descendentes. De verdade. Não tanto o filme em si, eu já aprendi a superar e apreciar como ele realmente é: um filme ruim que é divertido de caçoar. Mas eu não consigo deixar de me irritar pela oportunidade perdida de fazer algo legitimamente bom, mas ainda encaixando na proposta geral dos filmes originais Disney Channel.

E se um monte de gente que é paga pra fazer isso não consegue fazer direito, eu resolvi fazer uma proposta de uma visão alternativa do mesmo conceito, só por diversão.

E sim, eu peguei esse conceito do Blog do Amer, que fez isso com Transformers e com Star Wars há algum tempo atrás.

Segmento o qual chamarei de Super Remake Time, porque branding é tudo.

Adiante!

[Tio Walt] Flubber


Cê provavelmente conhece Flubber. Aquele filme dos anos 90 onde Robin Williams contracenava com a Ariel e uma gosma verde em CG. Claro que lembra. Aquela praga passava quase que direto no Cinema em Casa do SBT, sei lá se ainda passa porque eu não vejo TV aberta há pelo menos 5 anos.

Mas esse filme na real é um remake de outro filme dos anos 60, que por sua vez é baseado em um conto curto que eu não consegui achar então dane-se, vamo ficar nos filmes.

Na real, nem consegui achar todos os filmes então vamo ver no que vai dar, essa é a mini-retrospectiva da franquia Flubber.
Ou Professor Lezado, sei lá.


Kapan Komenta 22 - Remakes Disney e Ariel Negra


Qual o problema com os remakes Disney? Porque alguns são aceitáveis, outros são ruins, ou blasfemos, ou Bela e a Fera de 2017? Ariel negra é algo bom ou ruim?
Eu respondo tudo isso e te explico da forma mais didática possível.


Vídeos que eu citei no podcast:
https://www.youtube.com/watch?v=JX0gZY9VKlM
https://www.youtube.com/watch?v=nI-LNKZy3tY